Um barzinho, um violão

28 05 2009

É nesse clima que o Kageyama segue seus shows acústicos pelo Japão. Sempre em lugares pequenos, pra 50, 60 pessoas, e com repertório menos pancada. Ontem ele fez um desses pocket shows em Shibuya e eu fui ver pela primeira vez. Adorei. Quando terminou, ele disse: “viu, este é o meu hobby”. Achei duca! Chegar aos 47 anos conseguindo desligar a cabeça das preocupações para tocar violão por ai não é pra qualquer um.

No bis, ele me chamou e cantamos Cha-la-Head-Cha-la juntos. Foi divertidão!

828-1

O Daniel e a Lais estavam lá também. Nos empolgamos tanto com o tio Kage que hoje, daqui a pouco, vamos ao karaokê cantar anime song até cuspir sangue no chão! hehehe

828-2

Nesses últimos três dias estou lutando contra o tempo para terminar as minhas matérias para a próxima edição da SAX. Hoje terminei de escrever a entrevista que fiz com o Gerald Thomas, diretor de teatro genial e persona rara nesse mundo. Morri de rir escrevendo.

Amanhã vou com o JAM pra Taiwan para mais dois shows da Hurricane Tour, que está chegando ao fim. Depois desse final de semana, sobra só o Budokan. Se bem que dizer “só o Budokan” é estranho…

God bless us all!
^^





JAM Live in Niigata + Novo filme dos Riders

25 05 2009

O primeiro show que participei com o JAM foi um sucesso! Ah… Haja nervosismo. Não tem jeito: sempre antes de entrar no palco rola uma tensão. Ainda mais no primeiro show. Mas deu tudo certo. O público de Niigata é bem diferente do de Tóquio. Ele são… hum… mais contidos, talvez. É outra reação, não menos empolgante.

Devo ao pessoal de Niigata a recuperação da minha alegria de viver, depois de ter perdido o envelope onde estava quase toda a grana que trouxe do Brasil pra gastar aqui… O trolha que vos escreve colocou o tal do envelope dentro da pasta com as letras das músicas. Devo ter andado pra algum lugar e, no caminho, pimba!, caiu por ai. Fiquei deprimidão quando percebi o que tinha acontecido. Mas depois de pular muito no primeiro show, o público me devolveu a energia que esse episódio me sugou! Arigatô!!

É… Não que eu ainda não esteja puto comigo mesmo, mas estou bem melhor.

endoh2

Hoje fui com a Mishio Suzuki assistir a conferência de imprensa dos novos filmes do Shinkenger e do Kamen Rider Decade! Olha, vou dizer uma coisa, o evento foi preparado com tanto cuidado que conseguiu me seduzir. Deu vontade de assitir os dois filmes. Principalmente, claro, o dos Riders, que comemora os dez anos da nova franquia, da era Heisei, pós 2000, e tenta realizar o feito de reunir todos os motoqueiros com o mínimo de coerência de roteiro – já que os Riders até o RX (+ J, ZO e Shin) habitam um universo diferente dos novos.

Se bem que, na boa, isso é o de menos. O Decade, que passeia pelos mundos de todos os Riders, é a desculpa para se amarrar tudo. Que seja. Só peço uma história legal, sem crianças, e porrada da boa, o que, a julgar pelo trailer que passaram lá, está garantida!

Como sempre acontece nessas conferências para a imprensa, rolou uma encenação ao vivo com os Riders e Shinkengers transformados. Eu quase pulei da cadeira quando o Kamen Rider Black surgiu ao som da música de abertura da série. Foi fantástico. Em seguida, o Tetsuo Kurata, ator que fez o Issamu Minami, também apareceu – ele também vai estar no filme. O cara deve dormir num tubo de ensaio gigante cheio de formol – ou é a maquiagem, mais provável -, porque ele está (tirando uma ruga ou outra) igualzinho.

Esse filme promete mesmo. O Shadow Moon vai ressuscitar e muitos, mas muitos, vilões antigos aparecerão. O diretor, Osamu Kaneda, comentou que há uma cena com centenas de monstros! Quinhentos, se eu entendi bem.

Riderok

Quando o filme estrear, dia 8 de agosto, já não vou estar mais aqui. Só vou poder assitir quando sair em DVD. Que triste…





Hard Work

19 05 2009

Pensei que não ter jet lag dessa vez, mas que nada… Acordei as cinco da manhã e não consegui mais pegar no sono de jeito nenhum. É um saco! Mas fazer o quê? Amanhã passa, espero.

Ontem fui treinar a dança que faremos na música New Generation. O Endoh que bolou. É meio… sei lá, parece coreografia de peça infantil. Ensaiamos perto da varanda, na casa dele, foi um pouco constrangedor. Demos muita risada das pessoas que passavam na rua, olhavam e não entendiam porque dois marmanjos estavam dançando em casa em plena terça-feira, 3h da tarde. Rolava um tensão de tipo “vai trabalhar, vagabundo!”.

IMG0004A

Depois fui jantar com o dono da Lantis, a gravadora do JAM, o Endoh e a jornalista Mishio Suzuki, que tem um programa diário na TV sobre fofocas e é fanática por tokusatsu. Ela me convidou para ir nessa sexta ver o evento mensal que ela organiza. É um talk show um monte de convidados. A maioria atores de várias séries antigas. Nesse, parece que vão estar o Tota Tarumi (Red Flash), Shohei Kusaka (Jiban), Takumi Tsutsu (Jiraiya)… Só gente que eu cresci assistindo salvar o planeta! Depois posto todas as fotos aqui.

Bom, já que não consegui dormir, deixa tomar um banho logo, tenho que ir até a Embaixada de Taiwan resolver uns pepinos burocráticos e depois ir pro ensaio.

Ganbarou!! ^^





Shuppatsu!

17 05 2009

Chispei!

Nesse momento estou no aeroporto Charles de Gaulle, em Paris, esperando uma eternidade para fazer a conexão até Tóquio. Enquanto espero, como um sanduíche de presunto com queijo emental que comprei aqui perto dos portões de embarque por 4 Euros. Quanto dá isso? 10, 15 Reais? Caro pacas. Mas muito bom.

IMG0001A

Estou ansioso para chegar ao Japão! Os shows desse ano vão ser muito legais. Poxa, vamos cantar no Budôkan! Budôkan!! Os Beatles já tocaram lá! Bob Dyan, Bon Jovi, Dream Theater, Ozzy Osbourne… A lista é grande. Um pouco antes do show do JAM, o Mr. Big, que voltou, faz ali o seu show de retorno. Mó responsa!

Mas se ficar pensando muito nisso fico nervoso antes da hora. Por enquanto, vou relaxar, assistir os últimos episódios da quinta temporada de Lost – é, estou viciado – e pegar o avião ai embaixo.

行ってきまーす!

IMG0002A





Pimba na gorduchinha… pra bem longe!

12 05 2009

O Forasta resume bem as coisas. Peguei um trecho do último texto do blog dele, falando mal de futebol e dos esportes em geral. Assino embaixo. É ou não é?

Até entendo que adultos possam se interessar por praticar algum esporte – os homens precisam se agarrar à infância de alguma maneira. O que não entra na minha cabeça é essa coisa de torcer para um time, ou um atleta, e ficar assistindo à coisa toda pela TV, lendo cadernos de esporte, discutir a respeito e não perder um Cartão Verde. É absurdamente chato, estúpido, perda de tempo.

E…

E a Copa que se aproxima? Quando chegar a hora vou estar na casa de alguém tomando cerveja, comendo batatinha e torcendo pelo Brasil. Passa mais rápido.

Depois leiam o artigo todo que vale a pena.





Eric Martin cantando Glay

8 05 2009

Não é brincadeira. Foi no programa japonês Hit Parade, em que artistas convidados cantam as músicas de maior sucesso da semana. O JAM já participou umas três vezes. Numa delas fez um cover bonzão do B´z. Mas o Eric Martin cantando Yuuwaku, do Glay, consegue ser ainda mais extraordinário. Muito melhor que o Glay.

Duvida?

E tem mais: ano passado ele lançou um disco chamado Mr. Vocalist, só de covers de músicas famosas de cantoras pop japonesas cantadas em inglês. Ainda não ouvi, mas é inusitado o suficiente para querer ir atrás.

Mais inusitado e bizarro é o Mr. Vocalist 2, que ele gravou esse ano, cantando os hinos das grandes divas do pop americano. Cara! Tem “My Heart Will Go On” e “Always Love You” na lista.
Fuçando no youtube, achei o clipe de Hero, da Mariah Carrey. Hum… Ficou bom! Mas não sei se quero ouvir o resto…





Jaspion chega no fim de semana

5 05 2009

12

Viajo pro Japão dia 16. Até lá tenho n coisas pra resolver. Muitas chatíssimas: visto, documentação, reservas de passagens, ida a consulados… Outras bem legais, mas que estressam pela falta de tempo, como o próximo fechamento da SAX. Por isso ando sumido daqui. Uma pena. Curto bastante postar no blog.

Mas, antes de ir, terei o prazer de ver o resultado de anos de ideias, negociações, encheção de saco e trabalho: o box do Jaspion em DVD, que chega ás lojas, Brasil todo, no dia 8.

É muito gratificante quando um projeto que você idealizou vinga. Olhando pra trás, desde que fui com o Watari pela primeira vez e na cara dura bater  até o escritório da Toei, é difícil acreditar que tudo tenha dado certo. Valores viajados, falta de noção do mercado de DVDs no Brasil. falta de conhecimento das empresas aqui sobre os produtos de lá, falta de respostas…

Eu sou avesso a gravatas, mesas de escritório. Tenho uma confessa falta de talento pro mundo do business. Esse papel de negociador e conciliador não rola direito comigo. Não tenho o dom. Prefiro tocar a produção, escolher imagem, escrever os textos, traduzir o roteiro, bolar extras, ajudar na promoção, fazer palestras sobre o assunto… Enfim.

Mas, ufa, deu certo! O negócio estará na praça em mais quatro dias.

Quem sabe o box venda bem e estimule o mercado a apostar um pouqinho mais nessas produções? Não será fácil. Nada fácil. Mas tenho esperanças. E, se rolar, poderemos ter um segmento inteiro de heróis japoneses selados em DVD no Brasil. Um segmento que partiu de uma ideia que tive andando por Tóquio puto da vida com o fato de, a essa altura do campeonato, ainda não termos Jaspion oficialmente lançado.

Continuo torcendo!

Ah! A SAX saiu faz um tempo já. Olha a capa ai.

sax12

Tem bastante coisa interessante nessa edição. Quem puder, dá uma folheada na banca.